#44 – Utopias, distopias e boletos

Em meio à pandemia de Covid-19, uma escola resolveu se reinventar. O Colégio Waldorf Micael de São Paulo tem sido uma escola diferente desde que foi fundada, no final da década de 1970. Mas, com a chegada da pandemia, essa escola teve de se tornar ainda mais diferente. Eles, resolveram, por exemplo, acabar com as mensalidades, adotando princípios da economia fraterna.

Hoje, na medida do possível, os pais é que escolhem quanto vão pagar.

Esse movimento  disruptivo se baseia no conceito de economia fraterna. E, curiosamente, vai ao encontro do sonho utópico do grupo de pais e professores que fundou  a escola há mais de quatro décadas.

*****

– Colabore com a Rádio Escafandro e receba recompensas.

Clique aqui.

*****

– Mergulhe mais fundo.

Livro digital sobre a história do Colégio Micael.

– Entrevistados do episódio

Roberto Veiga

Administrador de empresas, gerente administrativo do Colégio Waldorf Micael de São Paulo.

Maurício Santos

Administrador de empresas, CFO Brasil da Regus e Spaces, membro do conselho de pais do Colégio Waldorf Micael de São Paulo.

Áurea Machorro

Professora, educadora, uma das fundadoras do Colégio Waldorf Micael de São Paulo.

Rayana Pereira Carneiro

Aluna.

Daniel Kulaif

Professor de classe do Colégio Waldorf Micael de São Paulo.

Alice Polito

Aluna.

– Ficha técnica:

Concepção, produção, roteiro, apresentação, sonorização e edição: Tomás Chiaverini

Trilha sonora tema: Paulo Gama

Mixagem: Vitor Coroa

Trilha incidental: Marginals e Blue Dots.

2 comments on “#44 – Utopias, distopias e boletos

  1. obrigada, Tomas, por mais um episódio emocionante!
    obrigada por me dar esperanças na humanidade e me dar motivos pra me esforçar mais em praticar o diálogo!
    obrigada e vida longa ao podcast!
    <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *